Mostrando postagens com marcador Política. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Política. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 23 de maio de 2024

Senado deve analisar fim da reeleição e mandato de 5 anos em junho

O Senado Federal deve analisar o fim da reeleição e a possibilidade de mandato de cinco anos no começo de junho, de acordo com o vice-líder do MDB, Marcelo Castro, do Piauí. O senador afirmou que os assuntos serão discutidos em projeto de novo Código Eleitoral na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania entre os dias 5 e 6 de junho.

 

De acordo com a CNN, Castro afirmou que, após uma reunião de líderes com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), serão debatidos temas como o fim da reeleição para cargos do poder Executivo, a implementação de mandatos de 5 anos e a coincidência entre mandatos de diferentes cargos.

 

O senador piauiense destacou ainda que, apesar de fazerem parte do mesmo projeto, as propostas serão analisadas individualmente, havendo a possibilidade da aprovação de algumas e reprovação de outras. “Se chegar a uma conclusão do debate que fim da reeleição não é uma coisa importante, que a sociedade não quer isso, é um tema que vai sair”, afirmou o senador.

 

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 112/21, que dispõe sobre a reforma do Código Eleitoral brasileiro, foi aprovado na Câmara dos Deputados em 2021. No Senado, passou por diversos relatores até que Castro fosse nomeado para a função. Entre as 127 mudanças apresentadas pelo projeto, estão alterações na questão da inelegibilidade, vista como “insuficientemente clara”, sobras eleitorais, pesquisas eleitorais e a prestação de contas dos partidos.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/noticia/292619-senado-deve-analisar-fim-da-reeleicao-e-mandato-de-5-anos-em-junho

segunda-feira, 1 de janeiro de 2024

A partir desta segunda-feira, somente pesquisas eleitorais registradas no TSE poderão ser divulgadas

Passa a valer a partir desta segunda-feira (1º) a legislação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que regulamenta a divulgação de pesquisas eleitorais realizadas no país. De acordo com a Resolução nº 23.600/2019, “a partir de 1º de janeiro do ano da eleição, as entidades e as empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às eleições ou às candidatas e aos candidatos, para conhecimento público, são obrigadas, para cada pesquisa, a registrar, no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais (PesqEle), até 5 (cinco) dias antes da divulgação”. 

 

A resolução também prevê critérios que o contratante destas pesquisas deverá seguir, entre eles, a obrigatoriedade de informar o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ); bem como discriminar o valor e origem dos recursos despendidos na pesquisa, mesmo que tenha sido realizada com recursos próprios.  


Fonte:  https://www.bahianoticias.com.br/justica/noticia/68858-a-partir-desta-segunda-feira-somente-pesquisas-eleitorais-registradas-no-tse-poderao-ser-divulgadas

quarta-feira, 19 de abril de 2023

Quatro ministros do STF votam para tornar réus 100 dos denunciados por ataques de 8/1

Quatro ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) já votaram para tornar réus cem acusados de participar dos atos golpistas de 8 de janeiro, até esta quarta-feira (19).
 

Faltam, portanto, dois votos para a formação de maioria na corte para a abertura das ações penais. Seis ministros ainda não se manifestaram.
 

A análise começou a ser feita no plenário virtual da corte na terça-feira (18), com previsão de término na próxima segunda-feira (24). Esta é a primeira leva de julgamentos das 1.390 pessoas denunciadas pela PGR (Procuradoria-Geral da República) por participação nos ataques.
 

Relator da investigação, o ministro Alexandre de Moraes sustentou a existência de justa causa para a abertura de ação penal de todos os acusados, divididos entre executores e autores intelectuais dos atos. Na prática, os denunciados se tornariam réus.
 

Os ministros Dias Toffoli, Edson Fachin e Carmen Lúcia acompanharam Moraes.
 

A pedido de Moraes, a presidente do Supremo, Rosa Weber, pautou a análise de um segundo pacote de denúncias da PGR. O julgamento começará na terça-feira (25).
 

Em seu voto, o ministro afirmou que parte dos denunciados, segundo apontou a Procuradoria, integrava o núcleo responsável pela execução dos atentados materiais contra as sedes dos três Poderes.
 

Outros associaram-se, por intermédio de uma estável e permanente estrutura montada em frente ao Quartel-general do Exército Brasileiro, sediado na capital do país, aos desideratos criminosos dos outros coautores, no intuito de modificar abruptamente o regime vigente, prossegue o ministro no voto.
 

Ainda conforme a manifestação, também havia o interesse de insuflar as Forças Armadas e a população à tomada do poder e à subversão da ordem política e social, gerando, ainda, animosidades entre os militares e as instituições republicanas.
 

Moraes reiterou não haver dúvidas sobre a competência do STF para analisar as denúncias e, caso sejam recebidas, para processar e julgar posterior ação penal.
 

Segundo ele, é evidente a existência de conexão entre as condutas dos acusados e os investigados por participação nos atos com foro especial, como os deputados André Fernandes (PL-CE), Clarissa Tércio (PP-PE), Silvia Waiãpi (PL-AP) e Coronel Fernanda (PL-MT).
 

Também citou conexão com o inquérito das fake news, em andamento no STF e cujos envolvidos também possuem prerrogativa de foro, como o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filhos do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).
 

No voto sobre as denúncias do 8/1, o magistrado considerou as condutas gravíssimas e correspondentes, ao menos em análise preliminar, aos preceitos primários estabelecidos em artigos do Código Penal.
 

"Tanto são inconstitucionais as condutas e manifestações que tenham a nítida finalidade de controlar ou mesmo aniquilar a força do pensamento crítico, indispensável ao regime democrático, quanto aquelas que pretendam destruí-lo, juntamente com suas instituições republicanas, pregando a violência, o arbítrio, o desrespeito à separação de Poderes e aos direitos fundamentais", argumentou o ministro.
 

Ele também escreveu que "não existirá um Estado democrático de Direito sem que haja Poderes de Estado, independentes e harmônicos entre si, bem como previsão de Direitos Fundamentais e instrumentos que possibilitem a fiscalização e a perpetuidade desses requisitos".
 

Metade do grupo (50 pessoas) alvo dessa primeira análise é acusada pela Procuradoria de incitar a animosidade das Forças Armadas contra os Poderes e associação criminosa.
 

Os denunciados foram presos na manhã do dia 9 de janeiro no acampamento montado em frente ao quartel-general do Exército em Brasília. Esses acusados compõem o que é chamado pela Procuradoria de grupo de incitadores, sem envolvimento direto no vandalismo aos prédios.
 

Contra as demais 50 pessoas, do grupo de executores, pesam as acusações de dano ao patrimônio público, associação criminosa, abolição violenta do Estado democrático de Direito e golpe de Estado. Esses foram presos nas dependências e nas imediações das sedes dos três Poderes.
 

Moraes decidiu priorizar o julgamento das denúncias relativas a quem segue preso. Por determinação dele, 313 pessoas são mantidos atrás das grades. Todas tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva pelo ministro.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/folha/noticia/221401-quatro-ministros-do-stf-votam-para-tornar-reus-100-dos-denunciados-por-ataques-de-81

segunda-feira, 27 de março de 2023

Prefeitura de Feira e governo do estado sinalizam parceria para Micareta

A prefeitura de Feira de Santana e o governo do estado selaram parceria para a realização da Micareta da cidade. Uma foto divulgada nesta segunda-feira (27) sinaliza o acordo. Ao lado do prefeito Colbert Martins Filho (MDB) aparecem os secretários estaduais de Relações Institucionais, Luiz Caetano, e de Cultura, Bruno Monteiro, e o superintendente de Fomento ao Turismo, Diogo Medrado. O evento está marcado para ocorrer entre 20 e 23 de abril.

 

Na última sexta-feira (24), o governador Jerônimo Rodrigues tinha afirmado que gostaria de valorizar grupos locais e afros durante a festa.

 

CAMAROTE DA PM

O Comando de Policiamento Regional Leste confirmou, no último dia 21, que, excepcionalmente neste ano, não haverá o tradicional Camarote Espaço Folia da Polícia Militar, na Micareta de Feira. A prefeitura local e o governo da Bahia travaram um debate público sobre o tema, após o governador Jerônimo Rodrigues reclamar que a gestão local estaria impondo dificuldades para a liberação do espaço. Jerônimo chegou a usar um tom duro para tratar do assunto, cobrando uma posição de Colbert MartinsApesar do intenso debate, o camarote acabou cancelado.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/municipios/noticia/33426-prefeitura-de-feira-e-governo-do-estado-sinalizam-parceria-para-micareta

 

domingo, 22 de janeiro de 2023

PF prende em flagrante homem por ameaças ao presidente Lula nas redes sociais

A Polícia Federal prendeu em flagrante na noite deste sexta-feira (20), em Boa Vista, cidade Roraima, um homem suspeito de incentivar o cometimento de um homicídio contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 


O homem teria cometido o crime por meio de um comentário que fez em uma rede social. O suspeito teria dito que seria "a hora de colocar a bala na cabeça dele" em uma publicação que noticiava a visita do Presidente ao estado de Roraima, neste sábado (21).

 

O preso foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/noticia/276695-pf-prende-em-flagrante-homem-por-ameacas-ao-presidente-lula-nas-redes-sociais

quarta-feira, 18 de janeiro de 2023

Eleições do Conselho Municipal de Cultura de Inhambupe

A Secretaria de cultura convoca toda a classe artística, dirigentes e produtores culturais de Inhambupe para
participar das eleições do Conselho Municipal de Cultura, entendo que o Conselho é de vital importância para a
implementação das políticas de cultura em Inhambupe. Você pode ser um eleitor ou candidato nas eleições.

ACESSE O EDITAL
Abrir Edital

QUE SER ELEITOR? CLIQUE ABAIXO PARA INSCRIÇÃO!
Formulário para inscrição

QUE SER CANDIDATO AO CONSELHO? CLIQUE ABAIXO PARA INSCRIÇÃO!
Formulário para inscrição



Fonte: https://www.inhambupe.ba.gov.br/eleicao-do-conselho-de-cultura-de-inhambupe-2023/


 

segunda-feira, 2 de janeiro de 2023

Maria Marighella é indicada por Margareth Menezes para assumir Funarte; Lessa deve assumir vaga na Câmara

A vereadora de Salvador, atriz e produtora cultural Maria Marighella foi indicada para comandar a Fundação Nacional das Artes (Funarte), dentro da gestão de Margareth Menezes no Ministério da Cultura.

 

O anúncio foi feito por Margareth na noite desta segunda-feira (2), durante seu discurso de posse como ministra em Brasília (saiba mais aqui).

 

Para assumir a função, a vereadora deve se licenciar da Câmara de Vereadores de Salvador, o que abriria vaga para Arnando Lessa (PT) voltar ao legislativo soteropolitano.

 

Maria Marighella já foi Coordenadora de Teatro da Funarte em gestões anteriores e agora voltará a Brasília para assumir o cargo máximo da instituição.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/noticia/276020-maria-marighella-e-indicada-por-margareth-menezes-para-assumir-funarte-lessa-deve-assumir-vaga-na-camara

terça-feira, 13 de dezembro de 2022

Futuro ministro, Rui Costa cobra punição rápida a golpistas bolsonaristas no Distrito Federal

Fotos: Reprodução Redes Sociais

O futuro ministro da Casa Civil, Rui Costa cobrou do governador do Distrito do Federal, Ibaneis Rocha, punição aos bolsonaristas que promoveram o caos na Capital na noite de segunda-feira (12).

 

De acordo com o site O Antagonista, Ibaneis garantiu que a segurança da Capital foi reforçada “para reestabelecer a ordem pública”.

 

“Não é admissível que pequenos grupos de arruaceiros promovam o caos na capital do país. A identificação e punição dos culpados deve ocorrer rapidamente”, informa nota da assessoria de Rui.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/noticia/275322-futuro-ministro-rui-costa-cobra-punicao-rapida-a-golpistas-bolsonaristas-no-distrito-federal

segunda-feira, 12 de dezembro de 2022

Rui na Casa Civil retoma discurso de "gerentão" para se viabilizar como presidenciável

Foto: Manu Dias/ GOVBA

Anunciado na última sexta-feira como chefe da Casa Civil do futuro governo de Luiz Inácio Lula da Silva, o governador da Bahia, Rui Costa, não previsa se esforçar para traçar paralelos entre a própria trajetória e o cargo que deve ocupar. De vereador de Salvador a deputado federal, Rui foi pinçado por Jaques Wagner para conduzir o mesmo posto estadual antes de ser apresentado como candidato a governador, nos dois últimos anos do ciclo do hoje senador no Palácio de Ondina. À época, guardava as mesmas semelhanças com Dilma Rousseff, na Casa Civil de Lula e lançada como sucessora dele.

 

Rui chegou a alimentar o sonho de ser presidenciável em 2022, quando Lula ainda era inelegível. Recuou da pretensão por saber que não tinha condições de competir com o líder-mor do PT. Mas ainda assim nunca deixou de se projetar como um "quadro técnico" frente as opções políticas disponíveis. O governador baiano não é afeito ao modus operandi do diálogo consagrado por Lula e por Wagner. Rui se vende como uma espécie de "gerentão", capaz de tocar e executar obras e projetos como poucos gestores públicos do ambiente da esquerda. Tanto que, em certa medida, convive com o círculo do entorno petista torcendo o nariz para o estilo, ainda que tenha passado ileso das eventuais críticas depois de bancar a candidatura de Jerônimo Rodrigues para sucedê-lo.

 

Antes da Casa Civil, houve um esforço de marketing para viabilizar o governador baiano para uma função mais voltada à área de economia. Os números da Bahia foram exaltados exaustivamente e a versão de que Rui poderia ser mais palatável ao mercado do que o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, circulou com força em rodas ligadas ao mercado financeiro. Como o governo Lula 3.0 terá um gigantesco desafio nesse setor, quem ocupar o ministério e fizer uma boa gestão será automaticamente alçado candidato a presidente em 2026 - sim, já se discute isso, em um contexto de que o presidente não tentará recondução. Rui e o entorno dele sabiam disso, por isso a versão economista do governador esteve tão lembrada desde que foi encerrado o segundo turno.

 

Como não deu certo tirar Haddad como menina dos olhos de Lula, o baiano "herdou" uma posição que pode garantir o destaque almejado e partir para uma disputa fratricida com o companheiro paulista. Com uma espécie de plus de duas gestões bem avaliadas no governo da Bahia contra duas derrotas do adversário interno em 2018 e 2022. Não há meninos nessa disputa de homens e quem disser o contrário está tentando ludibriar quem está fora do circuito político. As cartas começaram a ser postas e Lula terá um papel decisivo, mas os jogadores precisarão mostrar as condições para serem escalados.

 

Ah, tem um detalhe que não pode passar despercebido. Com Rui na Esplanada, Jerônimo tem um terreno ainda mais livre para não viver à sombra do seu guru e mestre. Por enquanto, o governador eleito parece estar no esteio dos aliados e usa o argumento de que precisa esperar as definições de Lula antes de reformar administrativamente a máquina pública baiana. O timming, todavia, já começa a jogar contra, dado a proximidade com a posse. A sorte é que, sem alguém que eventualmente poderia agir como um condutor de marionetes, Jerônimo pode governar mais plenamente.


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/fernando-duarte/385-rui-na-casa-civil-retoma-discurso-de-gerentao-para-se-viabilizar-como-presidenciavel

quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Câmara de Inhambupe elege Eres do Formoso para presidente; biênio 2023/2024

Nesta terça-feira (6), a Câmara Municipal de Vereadores de Inhambupe, no nordeste baiano, elegeu a nova Mesa Diretora para o biênio 2023/2024. Por ampla maioria de votos, foram eleitos para o cargo de presidente o vereador Erenildo Ramos (PSD), conhecido como "Eres do Formoso"; Edilson Rocha ( PSD), vice-presidente; 1º secretário Osmar Ferreira (PODE) e 2º secretário, Eliezer Salomé ( PODE)

Após a proclamação do resultado, o presidente eleito, em discurso lido, agradeceu a todos os vereadores, citou o vice eleito, Edilson Rocha, que desistiu de sua candidatura para apoiá-lo e disse ser gestão, se referindo ao Governo Nena. 

Fonte: https://www.ronaldoleitenews.com.br/2022/12/camara-de-inhambupe-elege-eres-do.html

terça-feira, 15 de novembro de 2022

Ex-governador de São Paulo, Luiz Antônio Fleury Filho morre aos 73 anos

O ex-governador de São Paulo Luiz Antônio Fleury Filho morreu nesta terça-feira (15), aos 73 anos. O anúncio foi feito pelo MDB, através das redes sociais. A causa da morte não foi informada.

 

Além de governador, Fleury foi deputado, promotor de Justiça e professor. Filiado ao MDB, ele era membro da Executiva Estadual.

 

 

sábado, 5 de novembro de 2022

Aliados de Lula querem esvaziar Ministério da Justiça para turbinar Segurança Pública

Colaboradores do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), têm trabalhado para desenhar uma estrutura jurídica na qual o Ministério da Justiça passará atribuições a um novo Ministério da Segurança Pública, uma das promessas de campanha do petista.
 

Pela proposta em discussão, a nova pasta assumiria o controle da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Guarda Nacional e dos presídios federais.
 

A ideia, dizem, é mostrar que o novo governo não vai enxergar o tema da segurança pública apenas sob o ângulo dos direitos humanos. Nem apostará prioritariamente no sucesso das políticas sociais como ferramenta para combate à criminalidade.
 

Segundo esses aliados, essa mudança --que esvazia a pasta da Justiça e turbina o novo ministério--, serve também para mudar a imagem que o PT e partidos de esquerda têm na condução dos temas de segurança pública.
 

Ainda de acordo com os colaboradores, a intenção é aliar medidas repressivas de grandes efeitos concretos à adoção de políticas públicas que envolvam outros setores do governo, como educação, saúde, economia e defesa.
 

Entre aliados do presidente eleito, há, no entanto, quem se oponha à transferência das atribuições, abrindo uma disputa na equipe de transição do futuro governo, como já informou o Painel. Esses apoiadores alegam que, pelo menos, a PF deveria ser mantida na estrutura do Ministério da Justiça.
 

Há integrantes da própria corporação que defendem a permanência da PF na alçada da Justiça. Uma justificativa seria a proximidade com temas ligados ao Judiciário.
 

Os defensores dessa manutenção também dizem que um ministério da Segurança que inclua os policiais federais e mais PRF, Guarda Nacional e sistema prisional tende a se tornar palco de disputas corporativas que podem minar a atuação integrada desses segmentos.
 

Afirmam também que no modelo com dois ministérios na área jurídica pode faltar articulação e velocidade em operações que tenham que envolver órgãos como a PF e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), órgão responsável pela defesa da livre concorrência, que ficariam em pastas diferentes.
 

Para rebater o argumento de que o novo ministério fortalecido é uma promessa de campanha, os opositores à ideia lembram que na campanha de 2002 Lula também prometeu uma pasta para a Segurança Pública, mas desistiu após intervenção de Márcio Thomaz Bastos, que assumiu a Justiça.
 

Pelo formato em discussão, restaria ao Ministério da Justiça principalmente a articulação com os poderes Judiciário e Legislativo.
 

A pasta da Justiça já deve perder a Funai (Fundação Nacional do Índio) para o também prometido Ministério dos Povos Originários, que abarcará todos os órgãos ligados à proteção dos indígenas.
 

O Ministério da Justiça ainda continuaria com o Cade e o DRCI (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional), que faz a ponte com o Judiciário de outros países e cuida da repatriação de valores resultantes de crimes.
 

Lula defendeu, publicamente, a criação do novo ministério no dia 30 de agosto, durante reunião com governadores e especialistas em segurança pública.
 

"Estamos propondo a criação do Ministério da Segurança Pública sem que haja nenhuma interferência na política do Estado. O que queremos é aumentar a participação da União sem interferir naquilo que é obrigação dos estados hoje", disse Lula.
 

Consultora sênior do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a pesquisadora Isabel Figueiredo, que participou da reunião, se diz feliz com o que chamou de sinalização do presidente eleito. "É um recado para a população e para as forças de segurança de que essa pauta vai ser importante no próximo governo", afirma.
 

Segundo a especialista, há muita mudança na dinâmica criminal do país, sendo um exemplo disso a presença da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na Amazônia.
 

Na opinião da pesquisadora, o desmembramento facilitaria a gestão do Ministério da Justiça, hoje consumida em demandas diversas. "A segurança pública no Ministério da Justiça acaba demandando muita energia do ministro na gestão das crises cotidianas", diz.
 

Responsável pelo debate sobre segurança pública durante a elaboração do plano de governo de Lula, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) afirma que a criação do ministério já é um compromisso do presidente eleito.
 

Teixeira lembra que a proposta consta dos 13 pontos apresentados por Lula no dia 27 de outubro, a três dias do segundo turno, no documento chamado de Carta para o Brasil do Amanhã.
 

"Vamos criar o Ministério da Segurança Pública para implementar o Sistema Único de Segurança Pública, com polícias bem equipadas, treinadas e remuneradas", começa.
 

O texto promete ainda a retomada do Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania), para profissionalização de agentes de segurança, e fortalecimento do trabalho da Polícia Federal e da Força Nacional.
 

A promessa foi também uma resposta aos ataques veiculados na propaganda eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em uma das peças, suspensa pela Justiça eleitoral, a visita de Lula ao Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, foi usada na tentativa de associar o petista à criminalidade.
 

Durante a campanha, Lula também prometeu a criação do Ministério da Segurança Pública com foco no combate ao tráfico de drogas e controle de armas nas fronteiras brasileiras. Essa promessa se contrapõe à política armamentista de Bolsonaro.
 

A adoção de medidas mais rígidas para combate à criminalidade foi incorporada durante a elaboração do plano de governo de Lula.
 

O texto original continha dois parágrafos, propondo "uma segurança pública cidadã para a proteção da vida". Os representantes do PSB, partido do vice da chapa, Geraldo Alckmin, apresentaram nova redação, na qual passaram a constar os termos repressão e combate.
 

Uma emenda incorporada também propõe a valorização do profissional de segurança.
 

Atualmente, o mais cotado para assumir o Ministério da Segurança é o ex-governador do Maranhão e senador eleito Flávio Dino (PSB-MA). Embora, por ser juiz, seu perfil seja mais adequado para a Justiça, Dino é apontado como um nome forte para a nova pasta.
 

Para a Segurança também são lembrados nos círculos petistas os nomes do sociólogo e ex-ouvidor da Polícia de São Paulo Benedito Mariano e do antropólogo e ex-secretário Nacional de Segurança Pública Luiz Eduardo Soares.
 

Para o Ministério da Justiça, os mais citados, além de Dino, são os advogados e professores universitários Pedro Serrano e Silvio Almeida, colunista da Folha, e a senadora e advogada Simone Tebet (MDB-MS), que foi candidata à Presidência.
 

Aliados do presidente eleito dizem que ele tem grande estima pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski. Por isso, o nome do magistrado é citado por petistas como uma opção para pastas ligadas à Justiça.
 

Lewandowski, porém, já indicou a interlocutores que não pretende participar do governo. Seu nome, então, passou a ser cogitado para uma embaixada, caso ele queira.
 

Concretizada a criação da nova pasta, essa será a primeira vez que um governo petista contará com o Ministério da Segurança Pública em sua estrutura.
 

No governo Lula, o Ministério da Justiça teve à frente dois nomes fortes, Márcio Thomaz Bastos (2003-2007) e Tarso Genro (2007-2010), além de Luiz Paulo Barreto (2010).


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/folha/noticia/193869-aliados-de-lula-querem-esvaziar-ministerio-da-justica-para-turbinar-seguranca-publica.html

segunda-feira, 31 de outubro de 2022

Entidades jurídicas brasileiras parabenizam Lula por vitória e elogiam TSE

Diversas entidades e personalidades jurídicas parabenizaram o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) neste domingo (30) e elogiaram o sistema eleitoral brasileiro. Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que participou da fiscalização das eleições, parabenizou Lula e os governadores eleitos em segundo turno. 


"A entidade representativa da advocacia nacional seguirá fiel à defesa do Estado Democrático de Direito, da liberdade de manifestações pacíficas e da posse dos eleitos pelo voto popular soberano", afirma a nota da entidade. A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) desejou "ao eleito tranquilidade para garantir o progresso do país e que se mantenha em defesa da Constituição, da Justiça e do Estado Democrático de Direito". A presidente da AMB, Renata Gil, afirmou que o “povo brasileiro exerceu sua cidadania e tudo que desejamos é que sua voz seja respeitada durante o mandato."


A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) parabenizou "os candidatos eleitos nos dois turnos para representar o povo brasileiro e deseja que exerçam da forma mais exitosa os seus mandatos" e destacou o trabalho do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) "pela condução do pleito deste ano com total transparência e serenidade".


Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/justica/noticia/66477-entidades-juridicas-brasileiras-parabenizam-lula-por-vitoria-e-elogiam-tse.html


 

ACM Neto venceu Jerônimo em nove dos 10 principais colégios eleitorais da Bahia; confira

Ter vencido em nove dos 10 maiores colégios eleitorais da Bahia não foi suficiente para garantir a vitória a ACM Neto (União) nas urnas em 2022. O ex-prefeito de Salvador foi derrotado por Jerônimo Rodrigues, do PT, neste domingo (30), na disputa pelo Governo da Bahia. Dentro do "top 10", o desempenho de Neto foi superior ao primeiro turno, quando levou a melhor que seu adversário em seis municípios. Eleito próximo governador, Jerônimo obteve, ao todo, 4.479.440 votos (52,79%) contra 4.006.247 de Neto (47,21%).

 

Assim como no primeiro turno, ACM Neto levou a melhor nos três maiores colégios do estado: Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista. Já Jerônimo, não conseguiu repetir o primeiro turno quando venceu em Juazeiro e Ilhéus e derrotou Neto apenas na cidade de Jequié, assim como fez no dia 2 de outubro.

 

Para entender a proporção, os seis maiores colégios eleitorais do Estado concentram mais de 3 milhões de eleitores aptos a votar em 2022 (3.074.279), ou quase 30%. Ao todo, a Bahia possui 11 milhões de eleitores.

 

Confira como foi a votação dos dois candidatos nos dez maiores colégios eleitorais da Bahia:

 

SALVADOR
ACM Neto - 1.013.094 (64,51%)
Jerônimo - 557.418 (35,49%)

 

FEIRA DE SANTANA
ACM Neto - 204.662 votos (58,95%)
Jerônimo - 142.490 (41,05%)

 

VITÓRIA DA CONQUISTA
ACM Neto - 119.665 (59,05%)
Jerônimo - 82.995 (40,95%)

 

CAMAÇARI
ACM Neto - 87.177 (57,41%)
Jerônimo - 64.661 (42,59%)

 

LAURO DE FREITAS
ACM Neto - 71.234 (58,98%)
Jerônimo - 49.538 (41,02%)

 

ITABUNA
ACM Neto - 68.739 (61,16%)
Jerônimo - 43.661 (38,84%)

 

JUAZEIRO
ACM Neto - 65.484 (52,21%)
Jerônimo - 59.932 (47,79%)

 

ILHÉUS
ACM Neto - 53.003 (54,38%)
Jerônimo - 44.457 (45,62%)


 
JEQUIÉ
Jerônimo - 46.153 (51,41%)
ACM Neto - 43.614 (48,59%)

 

TEIXEIRA DE FREITAS
ACM Neto - 46.881 (60,05%)
Jerônimo - 31.193 (39,95%)

 

A nível de comparação, confira abaixo como foi a votação dos candidatos nos 10 maiores colégios eleitorais da Bahia no primeiro turno da eleição (leia mais aqui):

 

SALVADOR
ACM Neto - 783.749 votos (52,79%)
Jerônimo - 547.531 (36,88%)
João Roma - 125.701 (8,47%)

 

FEIRA DE SANTANA
ACM Neto - 140.555 (42,87%)
Jerônimo - 135.134 (41,21%)
João Roma - 48.138 (14,68%)

 

VITÓRIA DA CONQUISTA
ACM Neto - 91.460 (46,89%)
Jerônimo - 74.023 (37,95%)
João Roma - 27.716 (14,21%)

 

CAMAÇARI
ACM Neto - 72.964 (50,25%)
Jerônimo - 58.518 (40,30%)
João Roma - 12.788 (8,81%)

 

LAURO DE FREITAS
ACM Neto - 53.832 (47,28%)
Jerônimo - 46.821 (41,12%)
João Roma - 11.948 (10,49%)

 

ITABUNA
ACM Neto - 49.120 (44,91%)
Jerônimo - 39.770 (36,36%)
João Roma - 19.701 (18,01%)

 

JUAZEIRO
Jerônimo - 54.864 (45,65%)
ACM Neto - 49.118 (40,86%)
João Roma - 15.663 (13,03%)

 

ILHÉUS
Jerônimo - 39.706 (41,68%)
ACM Neto - 38.666 (40,59%)
João Roma - 16.072 (16,87%)

 

JEQUIÉ
Jerônimo - 41.765 (48,83%)
ACM Neto - 32.105 (37,54%)
João Roma - 11.235 (13,14%)

 

TEIXEIRA DE FREITAS
Jerônimo - 26.827 (36,05%)
ACM Neto - 26.781 (35,99%)
João Roma - 20.520 (27,58%)

Fonte: https://www.bahianoticias.com.br/noticia/274136-acm-neto-venceu-jeronimo-em-nove-dos-10-principais-colegios-eleitorais-da-bahia-confira.html