Impostômetro de Inhambupe

Veja no Blog

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Netinho volta ao carnaval da BA após 4 anos longe por conta de doença

  Cantor fez show em um camarote localizado em Ondina, em Salvador.

Ovacionado pelo público, o artista cantou clássicos do axé dos anos 80 e 90.

O cantor Netinho voltou se apresentar no carnaval de Salvador, neste sábado (25), quatro anos após se afastar da festa por conta de problemas de saúde. O artista baiano fez um show de cerca de duas horas em um camarote localizado em Ondina, no circuito Dodô.

Netinho no Carnaval  (Foto: Júnior Improta/Ag Haack)Netinho se ajoelhou no palco para falar com fãs
(Foto: Júnior Improta/Ag Haack)
 
Ovacionado pelo público, o artista cantou clássicos do axé dos anos 80 e 90 e emocionou a plateia, que gritava o nome do artista. Canções como "Haja amor", "Praieiro", "Estrela primeira", "Baianidade Nagô" e "Prefixo de Verão" estavam no repertório. "Mila", canção de maior sucesso da carreira do cantor, foi acompanhada em coro pelo público.
Descalço, Netinho subiu ao palco vestido com bermuda branca, camiseta preta, um colete e um turbante. Ele ainda agregou ao figurino uma marca registrada: o apito que sempre usou nos shows e também nos trios.
Durante a apresentação, ele se emocionou com a receptividade do público e ainda se ajoelhou no palco para falar com alguns fãs. "Foi um show lindíssimo porque teve muita positividade. Hoje tudo está cheio de sofrimento e revolta, é preciso que exista felicidade em algo", disse Netinho após o show.

Netinho se emocionou durante a apresentação na Ondina (Foto: Júnior Improta/Ag Haack)Netinho se emocionou durante a apresentação na
Ondina (Foto: Júnior Improta/Ag Haack)
 
A apresentação marcou o retorno do artista ao cenário musical baiano. Em 2013, o músico teve três acidentes vasculares cerebrais que causaram, entre outros problemas, perda da voz, principal instrumento de trabalho dele. Além disso, Netinho viu sua rotina mudar de repente com um longo período de internações. O médico do cantor acompanhou todo o show no camnarote.
"Essa é uma vitória de todos, não só minha. Há certas coisas que você precisa querer. A medicina pode tudo, mas não adianta nada se a pessoa não quiser dar a volta por cima e se recuperar", revelou.
Em bate-papo com a imprensa após o show, Netinho falou que ainda se mostra insatisfeito com os rumos do Axé Music. "Hoje eu não gosto de quase nada produzida aqui [ Salvador]. Saí daqui em 2012 insatisfeito com os rumos do Axé e do Carnaval. Hoje tudo segue da mesma forma",
Em 2013 Netinho foi internado pela primeira vez, quando iniciou uma sequência de idas e vindas aos hospitais. Sofreu três acidentes vasculares cerebrais, perdeu a voz algumas vezes, encarou a depressão e acreditou que havia chegado no fim da vida. Assumiu os problemas causados pelo uso de anabolizantes, resistiu, encarou uma maratona de tratamentos e hoje celebra o retorno à música e, muito mais que isso, "o fato de estar de pé, com voz, vivo”.  
Saúde
“Acordei no hospital e, além de não ter memória e movimentos do corpo, tentei falar, perguntar o que era aquilo. Quando abri a boca não saia nada. Imagine a pessoa que viveu a maior parte da vida em função da sua voz se ver sem voz. Eu acho que teria enlouquecido se não tivesse tão cheio de remédios que me tiravam a consciência. Comecei o tratamento ainda no hospital, e quando tava recuperando a voz, tive três AVCs em uma semana. Tudo me levava a não acreditar”, lembra.
Ainda em São Paulo, encontrou um especialista que desenvolveu uma técnica para recuperar pacientes que sofreram AVC e ali retomou a esperança, a princípio de conseguir voltar a falar. “Não tenho a voz como era antes, cantando ainda não. Terei, mas entendo e aceito que é um processo longo”, pontuou.
Netinho usou turbante durante apresentação na Ondina (Foto: Júnior Improta/Ag Haack) 
Netinho usou turbante durante apresentação na Ondina (Foto: Júnior Improta/Ag Haack)


Segundo ele, além da vontade de retomar a carreira, a volta aos palcos faz parte do tratamento. “Isso envolve um pouco de mente, também. Mesmo fazendo os exercícios em minha casa, ou no médico, a minha mente diz pra mim mesmo que aquilo não é de verdade”, conta. O primeiro show completo após 2013 ele fez em uma festa no réveillon do Rio de Janeiro: “na última música eu gritava no palco de felicidade”, conta.

Os longos períodos no hospital levaram Netinho aos estudos da neurociência e da física, disciplinas que, segundo ele, foram primordiais no seu processo de recuperação. “Como eu estudei engenharia, sempre gostei de matemática e voltei a estudar na internet. E conversando com um estudante ele me enviou um livro de física quântica. E aí não parei mais. Um livro atrás do outro, pesquisa atrás da outra. E, quem diria, uma disciplina cartesiana me levou a Deus e à espiritualidade”, conta o artista que pretende colocar a positividade e a mensagem que aprendeu sobre a força da mente no seu novo trabalho, que deve sair para o verão de 2018.

“O que tenho em mente ainda é muito difícil de expressar em palavras. Vai levar um tempo até começar a gravar músicas novas, porque quero que elas venham com o significado do que eu sou hoje”, diz ele, que “não se enxerga no atual mercado da música baiana” e quer produzir "algo diferente".

 
Fonte: http://g1.globo.com/bahia/carnaval/2017/noticia/2017/02/netinho-volta-ao-carnaval-da-ba-apos-4-anos-longe-por-conta-de-doenca.html