Impostômetro de Inhambupe

Veja no Blog

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

EMBASA pede continuidade de seus trabalhos e vereadores exigem melhorias em Inhambupe



Aconteceu na tarde dessa terça-feira(29) na Câmara de Vereadores de Inhambupe uma reunião com os representantes da EMBASA que é a Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A.

Os representantes da EMBASA foram: Felipe, Julio e a Senhora Val e da Câmara estavam: O Presidente da Câmara Everealdo(Querido) juntos com os vereadores Fabrício Mateus, Dai, Izabel, Jeovan, Cloves, Uelson e Zé de Dite.

A reunião com a EMBASA foi marcada para às 15 horas dessa terça-feira(29) onde a empresa pediu que os Vereadores aprovasse o Projeto de Lei do Executivo para firmar convenio e continuar os trabalhos de distribuição de água.

Os vereadores que estavam presentes não aceitaram a continuidade da EMBASA, pois eles pediram uma contrapartida, que a EMBASA tem mais de 30 anos no município e nunca foi feito nada de contrapartida.

Ficou decido que de janeiro em diante, os novos vereadores que estavam nessa reunião irão pedir ao Executivo que faça um plano de saneamento da cidade, e depois eles irão mandar para a Câmara de Vereadores, os vereadores irão fazer audiências pública onde irá chamar a população e depois do fechamento irá fazer um levantamento da possibilidade e do período de execução dessas contrapartida da EMBASA, fica registrado que a preocupação dos vereadores é que não existem nenhuma contrapartida de imediato da EMBASA, os vereadores colocaram todos os problemas do município, onde a água em muitos povoados é de péssima qualidade, água que chega um dia só na semana, povoados que não tem água, também foi informado da água de Inhambupe que chega até Acajutiba e Esplanada e o município não é beneficiado em nada e foi passado todas as necessidades para os representantes da EMBASA para que eles façam todo o levantamento e tenha uma discussão com os vereadores, foi comentado também os buracos deixado pela a empresa, é necessário que se faça um saneamento básico e por isso não foi aprovado.
As informações foram do Vereador Fabrício Mateus.