Impostômetro de Inhambupe

Veja no Blog

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Em 10 anos, Bahia sobe 11 posições e se torna 4º estado em número de mortes

Em dez anos, a Bahia subiu de 15º para 4º estado do país com maior número de mortes por armas de fogo. Segundo o Mapa da Violência 2015, divulgado nesta quarta-feira (13), 2.073 pessoas morreram em 2002, contra 5.147 em 2012 – um aumento de 248%. De acordo com o levantamento, feito pelo governo federal em parceria com a Unesco, a maior parte das unidades federativas do Nordeste apresentaram aumento dos números, com destaque para Ceará e Maranhão, onde o número de vítimas quadriplicou. 

Em relação aos municípios, Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, se manteve em 1º lugar no ranking – com umamédia comparada a zonas de guerra. Entre os cinco municípios com o maior número de homicídios por 100 mil habitantes, três são baianos: além de Simões Filho, há também Lauro de Freitas (3ª) e Mata de São João (5ª). Entre as 15 primeiras ainda estão Porto Seguro (7ª), Itabuna (11ª) e Itaparica (14ª).  O documento também traz uma relação dos óbitos ocorridos entre jovens, em que a Bahia também se destaca: a cada 100 mil habitantes, o estado registrou 342 mortes de jovens, o que o deixa em 5º lugar no país. Há, ainda, outras comparações assustadoras. Para cada baiana assassinada por arma de fogo em 2012, 17 baianos também morreram. 

A cada 100 mil habitantes, foram baleados 69,7 homens e 4 mulheres no ano. Já em relação à cor das vítimas deixa claro um problema histórico. Em 2003, foram mortos 114 brancos, contra 370 em 2012 - aumento de 324%. Já entre a população negra, foram 1.241 mortos em 2003 e 4.512. O número, que já era grande, aumentou 363%. Ou seja: para cada vítima branca, houve 12 negras. O Mapa da Violência começou a ser acompanhado em 1980 e, desta vez, focou nas mortes por arma de fogo. Em 2012, 70% dos homicídios foram provocadas por balas.

Fonte: http://www.bahianoticias.com.br/noticia/172329-em-10-anos-bahia-sobe-11-posicoes-e-se-torna-4-estado-em-numero-de-mortes.html