Impostômetro de Inhambupe

Veja no Blog

domingo, 16 de novembro de 2014

Um pouco da história de Inhambupe

Veja abaixo um pouco da história de Inhambupe nesse dia que é a festa dos blocos do município.
Hoje irá acontecer a lavagem da Igreja ou melhor a lavagem dos degraus da Igreja com a participação das baianas, e durante o dia e parte da noite os blocos irão desfilar com os seus trios. Veja abaixo um pouco da história de Inhambupe.
Depois da última divisão territorial o município ficou com uma área de 1092 Km que a
cada dia vem sendo bem desenvolvida, tomado-a sempre mais bela, mais saudável e
hospitaleira. E, paia comemorar este glorioso dia, recordemos \«m pouco do seu passado.
Sabe-se que os jesuítas em sua catequese desbravando os sertões e catequisando índios,
tiveram a felicidade de encontrar uma taba de índios "Cariris" no local, hoje, uma praça
denominada "Praça Padre Anchieta" onde atualidade encontra-se edifícado o Colégio
Municipal Dr. Luís Coelho, o primeiro de 1° e 2° graus na bendita cidade.

Nossa história é muito interessante. Os padres Jesuítas se estabeleceram em uma, pequena povoação denominada "Água Fria", instalados deram inicio ao trabalho de catequese e em seguida enviaram o português Alexandre Vaz Gouveia para aprapropiar-se daquele lugar colonizado por eles, ficando Gouveias responsáveis pela continuação do trabalho de colonização. O primeiro passo foi a Expulsão dos índios, substituindo-os pelos colonos vindo de Água Fria, para trabalhar na construção de casas. Foi comunicado ás autoridades portugueses a existência de um povoado que mais tarde seria Inhambupe. Como religiosos não fugiram à regra, construíram logo unia capela que recebeu o nome de Capela de Nossa Senhora da Conceição.

Nem sôo os gouveias foram responsáveis pela colonização da pmaaáo. Sat was& holandesa na Bahia, no ano de 1624, Garcia D'Ávila, considerando fugitivo e expulso por se recusar em combater os holandeses, veio dar em um povoado do outro lado do rio. O Marechal Guilherme Garcia D'Ávila, conseguiu a posse de seis léguas de tetra, cedida pelo governador de época, Diogo Mendonça Furtado, que ficava entre o'Rio Inhambupe e o Rio Subauma.

Ali foi construído casas e uma igreja na parte alta do povoado, onde era denominado Inhambupe de Cima, ficando subordinada a Casa da Torre. A nova igreja, ficou pertencendo a Freguesia âe Santo Amaro de Ipitanga, o que não agradou. Houve muitos protestos, brigas, guerras, daí então aliaram-se padres, fidalgos e portugueses em 1718, o Arcebispo da Bahia Com Sebastião Monteiro da Vida e autorizado a freguesia de divino Espírito Santo e, em 1818, pelo Alvará Régio de 7 de novembro, foi criado a Freguesia da Pasóquia do Divino Espírito Santo.