Impostômetro de Inhambupe

Veja no Blog

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Confira a entrevista com os candidatos a Conselheiro(a) Tutelar de Inhambupe



 No dia 4 de outubro os inhambupenses inscritos na 44ª zona eleitoral com título na cidade de Inhambupe poderão escolher 5 candidatos para ocuparem o cargo de conselheiro tutelar. Ao todo, 16 pessoas estão concorrendo ao posto e já começaram suas respectivas campanhas.
Convidamos todos os candidatos para ser entrevistados na última sexta-feira na Casa dos Conselhos e compareceram 10 candidatos dos 16, os que faltaram daremos mais uma oportunidade e os que compareceram foram: Claudete, Darcilene, David, Fábio, Francisco, Luís Carlos, Hélia, Mariana, Murilo e Sandra.
Confira abaixo como foi a entrevista:

 
Número 02 - Claudete Batista de Souza

Quem é você?

Sou Claudete Batista de Souza, tenho 40 anos, meu primeiro trabalho com criança e adolescente foi com a Educação infantil, depois trabalhei com fundamental, segundo grau com adolescentes, na AABB comunidade como Orientadora Social que foi a minha primeira experiência também, trabalhei com essa mesma função no Prójovem e no Serviço de Convivência, identifico muito em trabalhar com criança e adolescente, fui candidata na última eleição para Conselheiro Tutelar, meu sonho é ser Conselheira Tutelar no qual quero desenvolver o meu trabalho na cidade de Inhambupe.


Qual o seu objetivo caso se torne conselheiro Tutelar?

O importante é trabalhar junto com as famílias, acredito muito nessa tese e é tanto que o meu lema de Campanha é “Por um Conselho Renovado em prol das famílias inhambupense”, pois eu acho que o Conselheiro(a) deve trabalhar atrelado com o Conselho de Direita, a Ação Social, a Educação e a Saúde; é um conjunto, começamos a trabalhar com as famílias que é a base de todo ser humano, a gente precisa trabalhar com a prevenção, com palestras, não acho interessante notificar uma família quando chega em uma casa. Por que não ir nessa comunidade? nessa família? antes de chegar esse ponto, eu acho que o conselheiro tem que ser amigo da família, temos um Conselho hoje que infelizmente e tem gente que não conhece o Conselho Tutelar hoje, na minha campanha eu tenho perguntado, você sabe o que é o Conselho Tutelar? Tem pessoas que não sabem que são os Conselheiros hoje.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

Depois que o ECA foi instituído, houve uma mudança muito grande nos direitos da Criança e Adolescente, como qualquer outra lei precisa ser lapidada, mas acredito que sem o ECA não teríamos tantos avanços na questão criança e adolescente, nós temos hoje os Conselhos de Direito, as políticas para crianças e adolescentes, os projetos, os PETs, tudo isso veio e sem o ECA nada seria possível, pois a base para as nossas leis é o ECA.

O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

O Conselheiro(a) Tutelar deve ser amigo da família, um profissional comprometido, que zele pelas crianças e adolescentes, uma pessoa que se preocupa com a sua conduta perante a sociedade, que olha os pessoas e as maneiras que se devem se portar, como a idoneidade moral tem que ser exemplo, como posso cobrar de uma criança que eu não tenho uma conduta Conselheiro, eu vejo crianças que fala que não vai respeitar tal Conselheira que não se porta forma, e a conduta do Conselheiro é muito importante.


Considerações finais:

Deixo o meu pedido para os eleitores de Inhambupe, vote 2 que prometo que serei uma excelente conselheira e prezarei pelo o direito da Criança e do Adolescente e como o meu lema diz: “Por um Conselho Renovado em prol das famílias inhambupense”.

 Número 03 - Darcilene Alves Carvalho


Quem é você?

Sou Darcilene, candidata a conselheira tutelar, tenho ensino superior incompleto de Serviço Social, quero fazer parte do Conselho Tutelar para juntos fazer valer o Estatuto da Criança e do Adolescente.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

Meu objetivo é desenvolver projetos junto as escolas, associações e outras instituições que venha levar ao Estatuto da criança e do adolescente o conhecimento para todos, para que dessa forma possamos prevenir sérios problemas que atingem as nossas crianças e adolescentes.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

O ECA é um marco jurídico de todos aqueles que se preocupam com a necessidade de proteger, de educar em sentido amplo, além de segurar os direitos a vida, a saúde, a alimentação, ao esporte, ao lazer, a cultura, a dignidade, a liberdade e a convivência familiar. 


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Cumprir as leis com responsabilidades e ter compromisso e respeito.


Considerações finais:

Acredito que o Conselho Tutelar é uma grande oportunidade que apareceu para mim, e um novo desafio que é trabalhar com criança e adolescente, gostaria de pedir o seu voto de confiança para juntos levarmos um trabalho coletivo junto com a criança e o adolescente, meu número é 03 vote em Darcilene.

 Número 04 - David Jonathan dos Santos Silva

Quem é você?

Meu nome é David, faço parte do Conselho há 5 anos, entrei em 2010, sou estudante de Fisioterapia, sou mestre de Capoeira, já faço um trabalho com criança e adolescente há muito tempo, desde quando comecei a ministrar as aulas de capoeira, e estou nessa disputa dessa vaga para Conselho Tutelar.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

Meu objetivo é continuar o meu trabalho que faço há 5 anos atrás, que é proteger a Criança e o Adolescente, o Conselho Tutelar quando as pessoas que deveria guardar, zelar as suas crianças que as famíli e o Conselho vem fazem o seu papel, por isso o meu objetivo é zelar guardar com o máximo de empenho possível.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

Meu ponto de vista sobre o ECA é positivo, o ECA veio para dá um maior suporte a essas crianças e adolescentes, deixar mais seguro essa proteção.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Deve ter o dever de proteger, zelar, guardar; deve lutar com toda a sua força apesar de todo esse sistema que as vezes trava o trabalho do conselho tutelar, o Conselheiro Tutelar jamais podem enfraquecer e deixar que criança e adolescente sejam mal tratadas, sejam negligenciada, esse é o nosso papel, apesar que tudo que acontece contra o bom andamento e o funcionamento do Conselho, mas o Conselheiro Tutelar deve   ser firme nos seus objetivos.


Considerações finais:

Quero agradecer a você por ter dado essa oportunidade, explessando e expondo as nossas vontades em relação a essa eleição, que independente das dificuldades que o Conselho enfrenta, é um órgão muito importante, e muitas pessoas não tem noção o que é o Conselho Tutelar e espero que todos votem conscientes.

 Número 06 - Fábio dos Santos Lins

Quem é você?

Sou Fábio dos Santos Lins, sou da Comunidade do Formoso, sou militante da pastoral da juventude rural e estou há dez anos militando com Política Pública voltado para a juventude do campo, nessa perspectiva, na transformação social, política econômica para nossos jovens e adolescente, pois trabalho desde a catequese, adolescência e a fase da juventude.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

Sou suplente do Conselho desde a última eleição, já atuei duas vezes exerecendo a suplência, como Conselheiro Tutelar o meu objetivo é garantir as politicas públicas na defesa e no direito da criança e do Adolescente, seguido pelo o ECA tendo essa atenção esse olhar com o adolescente, com a família, com um conjunto que tem que ser, analisar para que possamos atingir nossos objetivos.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

O ECA é de fundamental importância para garantir os direitos dessas crianças e adolescentes, tendo isso garantido com uma infância protegida, o foco é o jovem atuar no mundo do trabalho, de construir uma família, será uma pessoa inserida dentro da sociedade e que terá grandes oportunidades, por isso que se deve ser protegida e o ECA veio garantir, fundamentar e estabelecer todos esses parâmetros. 


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Deve trabalhar com amor, com dedicação; para que possa ter resultado significativos na defesa dos direito, tem que ter atenção, cumprir a sua carga horária, deve ser assíduo, ética, e ter uma boa conduta profissional, as demandas sociais que se apresentem no Conselho e saiba lidar em resolver e encaminhar para uma rede de Serviço Social.


Considerações finais:

Estou candidato mais uma vez, meu número é 6, sou Fábio do Formoso e peço o seu voto de confiança, o eleitor inhambupense pode votar em 5 candidatos e peço um espaço dentro dessa chapa



 Número 07 - Francisco Assis Oliveira

Quem é você?
Sou Francisco Assis de Oliveira, Conselheiro Tutelar desde de 2010, Professor, agradecer a todos que confiaram o seu voto em mim naquele ano e renovar mais um voto de confiança para mais um período, quero agradecer a todos e prestar a minha homenagem a todos os conselheiros que em 1993 se candidataram gratuitamente para exercer essa função como o professor Rafael, Professora Branca, Professora Maria Julia, Maria Vilma e Doralice; esses foram os primeiros conselheiros em Inhambupe e que fizeram um brilhante serviço, por isso a minha gratidão a eles pelo o fato de ter trabalhado gratuitamente por Inhambupe, pela a criança e pelo o adolescente.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

O meu objetivo é dar continuidade ao serviço que nós estamos desenvolvendo, ampliar mais horizontes e mais conquistas, mais políticas públicas e mais inclusão, está sempre vigilante desses direitos e deveres de todas as nossas crianças.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

O ECA foi o de melhor que aconteceu em nosso país desde 1990, com a chegado do ECA você tem um outro olhar para a criança e para o adolescente, a partir daí você trabalha com mais direitos e mais deveres para nossas crianças e adolescentes, é um outro olhar para essa população que precisa de ter prioridade no atendimento e precisa está sempre no início de qualquer projeto.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Acima de tudo gostar do que está fazendo, ter amor pelo o que faz e deixar que a população dê o respaldo, o meu trabalho é visto por todos e melhor é ter a opinião pública julgando o meu trabalho, tudo aquilo que faço é com carinho, dedicação e presteza em busca de um amanhã melhor para essa criança e adolescente como volto afirmar que a partir do ECA tem uma outra visão, tem um outro olhar e mais inclusão social.


Considerações finais:

Quero te agradecer ao nosso amigo blogueiro Eduardo Castro pelo o excelente trabalho que você vem fazendo, parabenizar a todos os internautas que te acessam diariamente no mundo todo, dizer que Inhambupe que se sente honrado em ter você como parceiro dessa luta, e dizer ao povo que venha se unir aos conselheiros em prol de uma amanhã melhor em nossa cidade, Inhambupe se sentem honrado em ter essa eleição em nossa cidade e convocar a todos os cidadãos e que traga esse apoio que é de suma importância, obrigado a todos e um abraço e boa sorte a todos os conselheiros, meu número é 7.


 Número 10 - Luís Carlos dos Santos Teles

Quem é você?
Sou Luís Carlos, nascido e criado aos arredores, nos povoados como no Campo Grande e Fazendo Boa Sorte, minha mãe se chama Marinalva e o meu pai chama Renato, meu pai é do município de Lamarão, próximo de Serrinha e minha mãe é daqui mesmo(Inhambupe).


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

É fazer com que as pessoas passem a respeitar mais as crianças e os adolescentes, para que não aja tanta negligencias para com os mesmo, hoje se tem muitos maus tratos, muitas crianças trabalhando antes do tempo, como aconteceu comigo e na minha época não tinha conselheiro tutelar.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

Como nunca vivenciei o ECA, estudei mas não dá para captar tudo que tem nas leis em pouco tempo de estudo, creio que tem os seus pontos positivos e os negativos também, ponto positivo é os adolescentes podem trabalhar como jovens aprendiz, o ponto negativo que hoje existem muitas crianças se calcem a uma mãe ou pai que vai contra ele, eles acham que "você não pode me bater e nem reclamar comigo", pois existe conselho tutelar para me defender, então eu acho um ponto meio negativo, pois as crianças entendem de outra forma.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Promover palestras em escolas, conscientizando crianças e adolescentes a não fazer parte do mundo das drogas, as meninas não procurarem gestação cedo, e conscientizar os pais, crianças e adolescentes para que não caia em ciladas com estranhos que podem ser raptados oferecendo algo antes, e sendo sequestrados e até mesmo assassinados e abusados sexualmente também.


Considerações finais:

Penso eu que entrando no Conselho quero o apoio do Poder Público, da Sociedade e de todos para realizar um trabalho perfeito para todas as crianças e adolescentes e votem 10.


 Número 12 - Maria Hélia dos Santos Rocha

Quem é você?
Sou Hélia, sou o número 12 na chapa eleitoral, sou ex-conselheira tutelar por 2 mandatos, fui chefe de comissariados de menores municipal, sou militante nas causas das crianças e adolescentes há cerca de 25 anos.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

O meu objetivo é dar o melhor de mim, como sempre dediquei em torno da defesa da criança e do adolescente, com a experiência que eu tenho, acredito que irei desenvolver um bom trabalho, confiando no voto dos meu eleitores municipais.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

O ECA é um conjunto de leis que zela pelo o direito das  crianças e do adolescentes e meu ponto de vista é; essa lei sendo cumprida tudo se tornará mais fáceis diante dos órgãos de atendimento da criança e do adolescente.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Deve cumprir as leis regidas no ECA; zelando, defendendo e protegendo nossas crianças. 


Considerações finais:

Peço mais uma vez a todos da comunidade inhambupense o voto de confiança para que eu possa retornar as minhas atividades como conselheira tutelar.


Número 13 - Mariana Costa Rodrigues

Quem é você?

Sou Mariana Costa Rodrigues, tenho 28 anos, sou formada em Serviço Social, já trabalhei na Secretaria de Assistência Social, conheço as políticas públicas da Assistência Social e da Criança e do Adolescente.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

Minha meta é trabalhar e zelando os direitos da Crianças e do Adolescentes, mas dentro das minha metas, algo que vejo muito importante, como objetivo para o trabalho no Conselho Tutelar é prevenção da violação desses direitos, prevenir antes que venha acontecer a violação.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

Esse Estatuto é a base de tudo, por que o Conselheiro vai trabalhando zelando o direito da Criança e do Adolescente, mas não pode fazer conforme o que pensa que é certo, ele deve fazer com base na lei, ele trabalha zelando, o meu ponto de vista é que a lei é muito importante e como toda lei se deve passar por mudanças para que vem sempre melhorar, mas é indispensável, o trabalho do Conselheiro é com base no estatuto.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Deve proteger, orientar, está sempre presente na Comunidades, nas famílias e nas Escolas; é um trabalho conjunto, a prioridade total é a proteção, a orientação e sempre está presente nesses locais que são nas escolas e nas comunidades.


Considerações finais:

É o que vou voltar a falar com relação a proteção e a prevenção, por que a proteção? As pessoas olham o Conselho Tutelar que está lá como um órgão parado e a gente só vai recorrer se algo acontecer de violação de direitos, na verdade ele está lá e pode ser utilizado de maneira positiva que é a minha maior meta para ser Conselheira Tutelar que é o meu objetivo e por isso entrei nessa campanha, é a questão de conscientização das famílias, questão da educação, quando você passa para os familiares de uma criança e do adolescente, você já está trabalhando algo que venha acontecer no futuro, você irá prevenir aquilo antes que aconteça, é orientar a família, é está trabalhando com relação a isso, é no trabalho infantil, tem muita gente que vê que as coisas acontecem e está alheias em sua volta e é importante que se trabalhe em cima dessa prevenção, por que criança é futuro da nação, se a gente não trata das crianças enquanto pode, depois não podemos ficar correndo atrás e por isso que as coisas acontecem com violências e tantos problemas.


 Número 14 - Murilo Ramos Nascimento

Quem é você?
Sou Murilo Nascimento, sou um jovem dedicado que sempre gostei de impor metas na minha vida, e de correr atrás delas, sou estudante de Fisioterapia pela a Faculdade Santo Antônio, atualmente faço curso técnico de Bombeiro Civil, e dentre outros mais oferecidos pelo o SENAC aqui no município, sempre gostei de fazer um trabalho voltado para o público, tudo aquilo que envolve pessoas foi o meu porte, eu tenho essa facilidade de interagir com as pessoas, gosto de expor as minhas opiniões, mas sei acatar as opiniões alheias, em que vivemos em um estado laico e cada um pensa o que se quer, respeitar as pessoas nas suas opiniões sobre as suas decisões.


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

O meu objetivo caso a sociedade caso me dê esse privilegio de desenvolver esse trabalho é de fazer um trabalho preventivo voltado para a criança e a família, por que acredito em que o Conselho Tutelar na fase que se encontra no município, ele está descredibilizado, mas por que perdeu sua autonomia, a sua sinceridade não, por que infelizmente não vem trabalhando na forma como se deveria, nós temos que ir atrás das comunidades, por que se a comunidade não vem atrás do conselho, o conselho precisa ir até ela, nós precisamos trabalhar em conjunto com as escolas, com as famílias principalmente, por que a família é a base de tudo e de uma sociedade futura, e melhor que nós temos hoje, por o melhor é trabalhar com a prevenção, é ouvi os jovens, é ir nas comunidades, ir nas escolas, ouvi as famílias, procurar a melhor respostas para os problemas de uma forma que não se prejudique nenhuma das partes, é fazer com que o conselho tutelar seja amigo dos jovens, das famílias, que seja bem visto pela a sociedade, que se desenvolva um trabalho que realmente foram chamados para desenvolver. 


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

O ECA é um estatuto sério, tão sério e de grande importância para a sociedade, por que através do ECA nós podemos ter o fundamentos para desenvolver um trabalho que somos chamados para fazer, por exemplo, o ECA procura formar com base nas leis que é proporcionar aquilo que é direito da criança e do adolescente, e nós conselheiros com base nesse estatuto podemos avançar sempre protegidos pela a lei e fazer aquilo que é coerente, pois o ECA nos dá autonomia para tomar decisões, mas o Conselheiro tutelar não é ser um policial, não é chegar em uma casa e impor alguma coisa ou algo desse tipo, mas é você procurar fazer algo correlacionado com ambas as partes e de forma inteligente, como exemplo se eu chegar para a mãe de família e falar que ela não pode bater no seu filho, e ela vai me dizer que é “Eu que coloco a comida, estou fazendo isso hoje para que você não faça amanhã”, mas como devemos fazer? Nós devemos adverti essa mãe se ela fazer alguma coisa com o filho dela não é? Ele tem que ter ciência que será prejudicial futuramente para a sua formação social, e o ECA nos embasa sobre isso, de nos ajudar a desenvolver um trabalho com base nas leis para melhor solução para os problemas.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Todo o Conselheiro Tutelar deve comprometido, deve está ali por querer, saber que pode fazer a diferença, muitas pessoas pensam que é um cargo como qualquer outro e não é verdade, conselheiro tutelar realmente é algo que se exige responsabilidade, tem que ter ciências, tem que ter visão, tem que ter criatividade, por que trabalhar com jovens e adolescentes e com crianças não é fácil, precisa ter um respaldo, precisa saber como se chega na criança, como se procura resolver os problemas, o Conselheiro Tutelar deve ser de uma forma específica, criativo e deve saber lidar com as situações, não deve ser chefão, ele deve saber ser um chefe que saiba administraras pessoas que precisam.


Considerações finais:

Como falei eu busco fazer um trabalho preventivo nesse aspecto, se for a vontade do povo inhambupense, sou jovem, mas graças a Deus tenho credibilidade, caráter, honestidade e acho que é isso que importa, chegou a hora de nós não votarmos em alguém por que conhecemos a família ou por que conhecemos a pessoa, nós temos que votar, por que sabermos que aquela pessoa é competente para exercer aquela função, pois se nós pesarmos assim, com certeza o nosso país seria outro, se nós votarmos por que um amigo nos pediu algo desse tipo, e isso é importante, por que as vezes quando indico uma pessoa para o cargo eu sei que é algo de competência, mas devemos olhar, observar e analisar para que possamos fazer boas escolhas, por que o que está em jogo não é um salário mínimo, não é um título de conselheiro, mas é um trabalho que envolve pessoas, tem que fazer com dedicação, peço aos inhambupenses que analise com coerência e saibam tomar suas atitudes, se eu for eleito, não posso fazer tudo sozinho, preciso que a população seja sabia em escolher outras pessoas que tenha o mesmo fundamento e os mesmo pensamentos, como diz o ditado “Uma andorinha não faz verão”, preciso está lá e preciso de ter colegas que tenha a mesma visão com transformação e visão de mudanças, precisamos agora, nesse momento, nessa fase que encontramos é mudança, é inovação, essas são as minhas propostas e espero que a sociedade acate, meu nome é Murilo Nascimento e o meu número é 14.

Número 15 - Sandra Lima dos Santos Ferreira

Quem é você?

Sou Sandra Lima dos Santos Ferreira


Qual o seu objetivo caso se torne Conselheiro Tutelar?

Meu alvo como Conselheira é instruir e educar dando sempre prioridade a toda criança e adolescente e podendo garantir uma infância que todo os seus direitos e deveres dentro da sociedade.


Qual o seu ponto de vista sobre o ECA?

É um órgão que trabalha em defesa da criança e do adolescente, pra mim o ECA se resume em garantir que as crianças e adolescentes tenha todos os direitos legais dentro da nossa sociedade, um convívio com todos e a liberdade de ir e vim, de ter educação, de ter todos os seus direitos e deveres realizados na sociedade.


O que todo Conselheiro Tutelar deve fazer?

Todo Conselheiro Tutelar deve ter a sabedoria, pois se a gente não for sábio, não conseguiremos fazer nada, com inteligência a gente consegue resultados, com sabedoria se deve procurar instruir, conversar, dialogar; e tentar buscar soluções para aquele problema, tentar resolver aquela situações que muitas vezes aquela criança ou adolescentes que muitas vezes, ele não tem que faça por ele e o Conselheiro tem o papel de instruir, conversar, dialogar; e tentar resolver essa situação.


Considerações finais:

Peço a todos os amigos e conhecidos se para poder me ajudar votando Sandra dia 04 de outubro no número 15, é um prazer e uma honra, amém, agradeço a todos